Feminicida é condenado por matar ex-companheira no PA que terminou ao descobrir antecedentes criminais dele

A Justiça determinou pena de 27 anos de prisão.

A vítima, Sônia Maria, foi encontrada morta em uma pousada de Ananindeua.

Edmilso da Silva já havia matado uma criança de 11 anos.

Polícia prende condenado por matar de criança de 11 e suspeito de assassinar ex-companheira em Ananindeua. Reprodução / Polícia Civil O réu Edmilso Bonifácio da Silva foi condenado, pelo Tribunal de Júri de Ananindeua, a 27 anos de prisão pelo feminicídio de Sônia Maria Souza e Silva.

O julgamento foi nesta terça (19). Edmilso foi preso preventivamente em outubro de 2018, dez dias depois do crime ocorrido no dia 14 de outubro de 2018 no bairro Águas Brancas, em Ananindeua, região metropolitana de Belém.

O feminicida tambem já havia sido condenado por matar uma criança de 11 anos.

Tanto a criança quanto Sônia Maria foram mortas enforcadas com uma corda. Segundo a Justiça, o feminicida matou a ex-companheira por não se conformar com o fim do relacionamento.

Testemunhas disseram que ela terminou após descobrir os antecedentes criminais dele.

Antes de ser morta, a vítima ainda sofria ameaças, segundo testemunhas. As investigações apontaram que ele atraiu a ex-companheira para uma pousada.

O corpo foi encontrado por uma funcionária do estabelecimento, após perceber que ele tinha saído sozinho do local. Ainda de acordo com as investigações, Edmilso da Silva chegou a ajudar a procurar pela vítima, que foi dada como desaparecida.

No entanto, imagens de câmeras de segurança comprovam que ele estava com ela no dia do crime.

Categoria:Pará