Segurança é forçado a bater em gerente de banco, durante assalto em Piên: 'Ou você bate ou nós matamos', relata testemunha

Segundo a polícia, dois reféns foram baleados e outras quatro pessoas ficaram feridas na ação, nesta sexta-feira (8).

Reféns contam como foi a ação dos bandidos durante assalto a um banco em Piên Homens armados que assaltaram uma agência bancária da Caixa Econômica Federal em Piên, na Região Metropolitana de Curitiba, nesta sexta-feira (8), obrigaram o segurança do banco a agredir o gerente durante a ação, segundo testemunhas. Uma câmera de segurança da Prefeitura gravou o momento em que clientes do banco foram usados como escudo humano.

Havia crianças entre os reféns.

Um morador que presenciou a ação disse que os suspeitos forçaram o funcionário a agredir o colega, enquanto mantinham outros reféns em um escudo humano. "Começaram a chutar fraco, sabe? Para não machucar.

Os bandidos falaram 'ou você bate nele ou nós matamos'.

Daí o gerente pediu, olhou para o guarda e falou 'por favor, me chute e muito forte", conta um dos reféns. Clientes foram obrigados a formar um cordão humano Reprodução/RPC O gerente do banco foi atingido por um tiro no pé e outro homem também foi baleado, segundo a polícia.

Além deles, outras quatro pessoas ficaram feridas. A Polícia Civil informou que pelo menos quatro ladrões armados com fuzis entraram no banco, por volta das 11h, e dispararam vários tiros, dentro e fora do banco. "Começaram a dar tiros e eu fui correndo na janela para fechar e vi que um outro rapaz já caiu.

Eu fiquei com medo, me fechei lá dentro", conta uma moradora. O gerente do banco foi agredido por um dos assaltantes.

Armados com pistolas e fuzis, os suspeitos obrigaram o segurança da agência a agredir o gerente. Após o assalto, comerciantes fecharam lojas na cidade, e as aulas foram canceladas nas escolas. De acordo com a Polícia Civil, os suspeitos fugiram em direção à divisa com Santa Catarina, a cerca de 50 quilômetros de Piên.

Ladrões roubam banco e fazem funcionários reféns em Piên, diz Polícia Civil Um dos reféns da quadrilha conta que, na fuga, chegou a ser levado no capô do carro dos suspeitos.

Ele afirma que pulou do carro no meio da estrada e conseguiu escapar. "Eu tive que ficar no capô do carro, e eles saíram andando.

Daí lá em cima, perto da igreja, eu me joguei", diz. O carro usado pela quadrilha, conforme a polícia, foi encontrado queimado a cinco quilômetros do banco onde houve o crime.

Até a publicação desta reportagem, os assaltantes não foram localizados. Carro utilizado pela quadrilha foi encontrado queimado em São Bento do Sul Divulgação/Guarda Municipal A Caixa disse que informações sobre eventos criminosos em suas unidades são repassadas exclusivamente às autoridades policiais, e ratifica que coopera integralmente com as investigações dos órgãos competentes.

O banco disse ainda que está prestando assistência às vítimas. Há um ano, também em Piên, suspeitos explodiram caixas eletrônicos de três agências bancárias.

Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.

Categoria:Paraná